terça-feira, 20 de setembro de 2011

Abrigo

A casa era o abrigo de um amor intemporal, qual guardiã incorruptível. Pintada de branco, com barras amarelas, guardava a adocicada alegria das famílias que não temem amar-se.

Sem comentários:

Enviar um comentário