segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Escreveu Pessoa

Escreveu
Pessoa
nessa Mensagem
que deixou à pátria e ao
mundo
um Nevoeiro
sombrio
que ofusca a promessa
desejada
de um Portugal
maior e
envaidecido.

Escreveu Pessoa
nesse poema
iluminado
a certeza de uma
nação
desunida.
E como que gritando aos
surdos
uma derradeira
esperança, um fado
que sorri,
escreveu É a Hora!,
qual terra prometida.

Escreveu Pessoa
essa Hora
profetiza,
deusa coroadora
de um império sem
terra.
E é ainda hoje a
Hora
do triunfo sobre a
pequenez
de um povo grande,
mas sem anseio.
É ainda hoje a
Hora
de levantar do chão
a sensatez
de um Portugal cego,
de um nevoeiro.

Alcanhões, 31 de Outubro de 2011 - 20h32m

Sem comentários:

Enviar um comentário