segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Berço

Palavra,
tinjo de negra
pele
a brancura das
páginas
mudas. Berços teus,
cândidos e
limpos. Esperam-te,
palavra,
e ao nascer de ti,
do teu sentido.

Alcanhões, 21 de Novembro de 2011 – 23h46m

Sem comentários:

Enviar um comentário