terça-feira, 22 de novembro de 2011

Sábia loucura

Pelas ruas da cidade, homens e mulheres carregavam no rosto o peso da uma tristeza receosa, incapazes de sorrir. Entre eles, caminhava o louco que, loucamente, ria como louco que era. De todos eles, era o único verdadeiramente feliz, o louco que ria. Contudo, sob a cortina do seu riso enlouquecido, havia um saber que lhe trazia desânimo. Sabia que, entre todos os homens e mulheres por que passava, nenhum sabia que podia sorrir.

Sem comentários:

Enviar um comentário