terça-feira, 29 de novembro de 2011

Serão sem palavras

Nos dias em que a poetisa chegava a casa cansada e sem vontade de escrever, escrevia sobre a raiva e o ódio que tinha à caneta e ao papel. Preferia escrever sobre o seu próprio horror interno do que ter um serão silenciado pela falta de palavras.

Sem comentários:

Enviar um comentário