quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Basta-me o céu

Gosto de olhar o céu durante a noite. Sinto-me no meu lar, no meu recanto imperturbável. Gosto de ficar horas a contemplá-lo. No Inverno, a brisa gélida visita-me a pele, acariciando-me suavemente. Nas noites quentes de Verão, é a respiração da terra que me envolve no seu delicioso e seguro abraço. Gosto de ficar horas a contemplar o céu durante a noite. Costumo falar-lhe. E sorrir-lhe. Também ele fala comigo, também ele me devolve o sorriso. Tem por hábito oferecer-me estrelas, das que caem. Contudo, contento-me com pouco. Basta-me a lua. Bastam-me as estrelas. E o céu adormecido.

Sem comentários:

Enviar um comentário