terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Desejo em silêncio

Por vezes, dou por mim a amar tanto as palavras e a conhecê-las tão profundamente que desejo, em silêncio, que deixem de existir. Aí, concluo que parte da humanidade que há no Homem se perderia. Contudo, todas as realidades humanas ganhariam uma autenticidade ainda desconhecida pela realidade em que vivemos. Pois em vez de dizer amo-te, sentiríamos o êxtase arrebatador contido na palavra, sem os limites e as perdas de sentido a que as palavras, por mais belas que sejam, estão agrilhoadas.

Ainda assim, prefiro manter o meu desejo em silêncio. Por mais redutoras que sejam as palavras, prefiro amá-las assim do que nada ter para amar.

1 comentário:

  1. Adorei o que escreveste. E se de facto bastou senti-lo para o sentimento estar completo, é bom ter as palavras para te agradecer :)

    ResponderEliminar