quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Livre-arbítrio

Ao homem foi concedida a maior das graças mundanas. O livre-arbítrio. A escolha. Escolher é parte da condição humana. Escolher define o percurso mundano, define o homem emancipado em si mesmo. E o que esperar das escolhas desse deus criador terreno? Mundos inspirados na verdade livre e plena? Ou realidades distorcidas que alienam a Humanidade do seu poder pessoal, da sua consciência inteira e desperta?

Mais importante do que escolher bem ou mal, é escolher conscientemente. Quando fundada na verdade, a escolha devolve ao homem a liderança do seu próprio percurso. Por isso existem ditadores. Por isso existe opressão. A limitação do livre-arbítrio torna o humano débil e servil. E humanos débeis não pensam e não decidem em verdade. Humanos débeis não escolhem com consciência.

É a hora de quebrar todos os grilhões que encarceram o livre-arbítrio. E de gritar ao mundo que ao indivíduo pertence a escolha consciente do seu próprio destino.

Sem comentários:

Enviar um comentário