segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A minha sombra

Certo dia cruzei-me com a minha sombra. Fitei-a por momentos, analisei o seu semblante. Estava triste e cinzenta. Perguntei-lhe se a poderia ajudar. Não me respondeu, esqueci-me de que as sombras não falam. Contudo, mostrou-me o que eu deveria fazer para que se sentisse mais feliz: que deixasse de a olhar tantas vezes a rastejar no chão e erguesse os olhos para apreciar, somente, o horizonte esperançado.

Dizem que não notamos a presença das sombras se nos mantivermos sempre focados na luz.

3 comentários:

  1. Nós somos seres de luz, é no que acredito. <3

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito deste teu pensamento. Às vezes focamo-nos demasiado no chão e perdemos o que acontece em redor...

    ResponderEliminar
  3. um dia sentimos a falta dessas sombras.
    bonito!

    ResponderEliminar