sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Morpheus

Deita-se a
noite
muda e quieta
antes que adormeça
o poeta
sem sono.

Há noites que com Morpheus
repousam, no leito,
desejando que se cumpram
aos seus braços
os sublimes sonhos dos
poetas.

Alcanhões, 16 de Dezembro de 2011 – 03h39m

Sem comentários:

Enviar um comentário