terça-feira, 3 de janeiro de 2012

[A caneta caiu]

A caneta caiu
o poeta morreu
e rasgou-se a folha
o poema.

É agora mero homem
o que esqueceu em
vida as feéricas
linhas de um
mundo de
papel.

Alcanhões, 3 de Janeiro de 2012 – 21h12m

Sem comentários:

Enviar um comentário