domingo, 22 de janeiro de 2012

Manifesto da Terra Prometida

Gritou Almada Negreiros BASTA PUM BASTA! em nome da decência e da Cultura! E BASTA! grito eu hoje, a Mãe-Terra que vos abriga, homens de uma nova era. Sou a Terra magnânima que vos abraça, a casa titã que vos dá tecto. E hoje grito ferozmente BASTA! por mim mesma e por vós, que me dilaceram sem piedade e levianamente.

Que se detenham os que me infectam de podridão e de horror, pois sou a beleza transformada em mundo. Sou a ninfa-musa que inspira artistas e poetas e a deusa-mãe reverenciada desde os primórdios dos tempos. Sou a mãe de todos os que em mim habitam e a todos dedico um amor sem condição profundo e sincero. Sou-vos íntima e vossa, mas também vós sois meus. Sois meus como são meus os prados, as florestas, os rios, os mares, os animais, os insectos, as plantas, os desertos, as montanhas, os lagos e tudo o que em mim existe e mora. Não sois mais. Não sois menos. Sois para mim como para uma mãe é um filho perante todos os seus irmãos. Iguais. Sois iguais a todos os que pari amorosamente. E por serdes iguais e não diferentes, como tendes pensado por longas horas milenares, grito-vos hoje Basta! em nome da minha e da vossa salvação.

Acordem desse demorado sono que vos aliena e vos coloca nessa fugaz e ilusória condição de seres a quem os deuses brindaram com a superioridade e a Razão. Acordem desse coma que vos afasta de mim, dessa canção de sereia que vos enfeitiça e encaminha rumo ao abismo profundo da mentira. Basta! É a hora! É a hora do Despertar!

Acordem!

Acordem!

Acordem!

Que cessem todas as tradições arcaicas e repugnantes que me cobrem de sangue e tirania. Que cessem as chacinas. Que cessem os horrores. Que cessem as brutalidades. Que cesse a tourada bárbara e infame, essa vil tentativa de espectáculo e cultura que mortifica touros e cavalos. Que cesse a impiedade sobre as baleias assassinadas por esses mares meus. Que cesse a loucura das malditas lutas de cães. Que cessem as indústrias das peles raras. Que cessem os horrendos mercados de marfim. Que cesse o enjaulamento dos meus amados filhos que nasceram livres e não cativos. Que cessem as economias que lançam em morte agonizante toda a fauna que em mim habita e vive. Que cessem os irreflectidos e insanos actos de desflorestação. Que cesse a impunidade dos que me negligenciam e desprezam sobranceiramente. Basta!, grito novamente! Sou a Terra-Mãe, senhora do mundo e ventre terno e suave que acolhe os que a mim estimam. Não castigo. Não me cabe ajuizar nem punir. Respondo consoante o que me dão e oferecem, em simetria e equilíbrio.

Como mãe vossa que sou, homens de uma nova era, quero-vos comigo, quero-vos em mim. Acordem!, é o que vos grito hoje! Despertem para uma nova era!

Sou a Terra que anseia por vos amar sem que o impeçam. Sou a Terra que anseia por ver-vos em harmonia comigo, como parte de um todo que nos mantém unos. Brado-vos para que me escutem e se elevem à condição de humanos que, em vez de viverem na Terra, vivem com a Terra, num equilíbrio sagrado e eterno. Pois Bastam! as horas de divisão, Bastam! os tempos de umbiguismo e cegueira. É hora de eu me tornar a ansiada Terra dos homens livres, de todos os humanos e de todos os outros seres que pari ou dei à luz. É hora de humanos e não humanos viverem como um só, conscientes de que são uma unidade que, quando em equilíbrio, respira como um único ser e em perfeição.

Sou a Terra que é de todos e que todos detém. Sou a Terra-Mãe que não tolera essa diferença que vós, humanos, criastes entre vós e os que, em mim, convosco habitam. Por isso, hoje, grito Basta! e Acordem!, homens alienados, pois é a hora de despertarem para uma nova era. A era em que todos os seres que criei vivam como duas mãos entrelaçadas, como o mar que não é mar sem ondas. É a hora de despertarem para a era do zelo que me é devido, a era do amor e do respeito que por horas milenares tenho esperado.

É a hora da criarmos, juntos, a Era da Terra Prometida.


Alcanhões, 22 de Janeiro de 2012

Samuel Pimenta

1 comentário:

  1. ...traigo
    sangre
    de
    la
    tarde
    herida
    en
    la
    mano
    y
    una
    vela
    de
    mi
    corazón
    para
    invitarte
    y
    darte
    este
    alma
    que
    viene
    para
    compartir
    contigo
    tu
    bello
    blog
    con
    un
    ramillete
    de
    oro
    y
    claveles
    dentro...


    desde mis
    HORAS ROTAS
    Y AULA DE PAZ


    COMPARTIENDO ILUSION
    SAMUEL PIMENTA
    CON saludos de la luna al
    reflejarse en el mar de la
    poesía...




    ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE SIÉNTEME DE CRIADAS Y SEÑORAS, FLOR DE PASCUA ENEMIGOS PUBLICOS HÁLITO DESAYUNO CON DIAMANTES TIFÓN PULP FICTION, ESTALLIDO MAMMA MIA, TOQUE DE CANELA, STAR WARS,

    José
    Ramón...

    ResponderEliminar