domingo, 12 de fevereiro de 2012

Manifesto da Política Nova

Grito hoje ao mundo um mandamento novo!

Grito hoje ao mundo findem os tempos da política dos políticos. Grito hoje ao mundo um mandamento despertador e libertário. Que findem para sempre os tempos da política desapaixonada e oca. Grito hoje ao mundo um mandamento salvador e altruísta. Grito hoje ao mundo um mandamento novo!

Sou a política dos que amam os povos, dos líderes sem vaidade e cobiça. Sou a política dos que guiam a humanidade rumo à esperança, dos mestres cujo nome jamais se apagará das memórias de pedra e de papel. Sou a política da verdade, da justiça, da honra manifesta nos homens e mulheres que em mim foram concebidos. Sou a política emancipadora de consciências, despertadora da cidadania e do civismo nos homens e mulheres por mim governados. Sou a política que devolve o poder a todos os humanos da Terra, para que cada um se possa governar como uma parte do todo que nos abraça e envolve. Sou a Política Nova que brada ao país e ao mundo um mandamento novo.

Que finde a política da desonra e da ganância. Que finde o tempo dos políticos vazios e dos seus discursos umbiguistas e fantochadas semelhantes. Que findem os parlamentos dos senhores e senhoras sem mestria e visão. Que findem os políticos sem génio e arte. Que findem os partidos arruinados pela repetição e pelo cansaço. Pois eu sou a Política Nova, a política dos cidadãos-mestres que por coragem e esperança acreditam num futuro mais de humanos, que de políticos. Vim para implantar o valor da humanidade e da união dos povos, destronando os arcaísmos da arcaica Política Velha que nos governa.

A Política Velha está moribunda! Morte à Política Velha!

A Política Velha está doente! Morte à Política Velha!

A Política Velha está desfeita! Morte à Política Velha!

Grito hoje um mandamento novo!

Que viva a Política Nova!

Que se implante a Política Nova!

Que governe para sempre a Política Nova!

Não sou a política dos que abusam do poder. Não sou a política dos que alienam os povos com mansidão e engenho. Não sou a política que oprime a verdade e a consciência humana. Não sou a política que priva homens e mulheres da sua identidade mais profunda. Não sou a política que legisla sobre o que são ou devem ser os humanos. Não sou a política que reprime e defrauda a Cultura. Não sou a política dos que, sem mérito, ascendem a cargos de poder. Não sou a política dos que, pelas armas, se afirmam como senhores do mundo. Sou a política dos que não me anseiam nem desejam, mas que me pensam e conhecem bem. Sou a política visionária dos poetas e artistas. Sou a política dos filósofos e dos que me amam por tanto me pensarem. Sou a política dos homens e mulheres comuns, dos povos que almejam respostas e soluções criativas. Sou a política da meritocracia e do sonho que se torna real. Sou a política dos Grandes que, por serem Grandes, se eternizam por nome, obra e carácter. Por isso, grito hoje ao mundo um mandamento novo.

Entreguem a política aos poetas e artistas!

Entreguem a política aos que trabalham antes de a aurora raiar o horizonte!

Entreguem a política aos filósofos e pensadores!

Entreguem a política aos que combatem a opressão e o medo!

Entreguem a política aos voluntários e às missões de paz!

Entreguem a política aos sem tecto e pão para comer!

Entreguem a política aos políticos que o são por ideal e bravura!

Entreguem a política aos que a não desejam, mas que a merecem!

Entreguem a política ao mundo, pois há tempo demais que é de uns poucos que a não honram e respeitam!

Hoje, grito um mandamento novo!

Sou a Política Nova, a política que veio emancipar todos os povos dos que cegamente os governam.

Hoje, grito um mandamento novo!

Emancipai-vos da Política Velha que vos tiraniza e enche de tristeza e cansaço. Sou a Política Nova dos que, em união, querem trazer ao mundo governos fundados nos humanos.

Hoje, grito-vos um mandamento novo!

Libertai-vos! E acreditai!


Alcanhões, 12 de Fevereiro de 2012

Samuel Pimenta

Sem comentários:

Enviar um comentário