domingo, 19 de fevereiro de 2012

Português

Escrevo o
Português
por noutra língua
não saber
escrever tão
bem.

Escrevo o
Português que
de dentro conhece o
fora, o Português que é
meu e que
dou ao
Mundo.

Escrevo o
Português das
gentes que
falam, da língua
popular e
livre, de uma
Cultura lírica e
intemporal.

Escrevo o
Português que o
poder eleito
rejeitou por ser
difícil e
complexo. Escrevo o
Português que
resiste, o
Português que não se
vende e
entrega.

Escrevo o
Português
latino que
escreve e
grita
pára ao para
projecto ao projeto
Outono ao outono
hei-de ao hei de
acção a ação
jóia a joia
dêem a deem.

Escrevo o
Português em
mim, para
que os outros o
possam escrever
também.

Escrevo e
escreverei o
Português que
conheço e
falo. Jamais o
que me impõem e
decretam.

Alcanhões, 19 de Fevereiro de 2012 – 15h35m

2 comentários: