domingo, 18 de março de 2012

Estética

Há em cada
respirar meu
um encontro
com o
Belo, a perfeição
sublime que me
define.

É para
mim a
Vida
um poema
cantado pelas
musas, uma inquieta
demanda pelo que
é grandiosamente
grande e
eterno.

Vivo
como um
esteta. E
que poeta
seria eu
se não vivesse
como vivem os
poemas?


Alcanhões, 18 de Março de 2012 – 18h04m

2 comentários:

  1. Apesar de toda a subjectividade que a estética emprega ao belo,concordo...*

    ResponderEliminar
  2. mais do que poesia, que bom sermos poema (de alguém)
    belo

    ResponderEliminar