quinta-feira, 15 de março de 2012

Grito calado

Que grito
é este que
mora em meu
peito e que
dor insatisfeita
é a que me
eleva a
voz?

Que brado
enfurecido me
define o
Ser, a divina
expressão dos meus
poemas?

Pois que me
calem a
voz, que me
roubem todas as
palavras mundanas.
Há em
mim um
grito calado que
resiste.

Alcanhões, 15 de Março de 2012 - 22h13m

1 comentário: