sexta-feira, 8 de março de 2013

A casa ficou nua de ti

A casa ficou
nua de
ti.
No lugar que era o
teu, sobra a imagem que
projecto do teu corpo, do
sorriso que o
éter esculpiu para o
sempre.
Despiram-se as paredes do
perfume que era pele
tua, abraço
imaterial que te fazia
presente.
A casa ficou
nua de
ti
quando a porta se
fechou com um
beijo.

Despiu-se a
casa e despi-me
eu
do feitiço de
olhar-te.
E no dia do
regresso teu
vestir-se-ão de
ti a porta, o
chão, a parede
e o homem que
te vestiu por dentro
logo que te
viu.

Lisboa, 29 de Novembro de 2012 - 01h04m

Sem comentários:

Enviar um comentário