sexta-feira, 5 de abril de 2013

A roda

Na roda em que
tombam as horas
tomba o acto
primeiro
da criação que nos
tomba.

Tomba a roda
e tomba a forma
tomba o círculo
que nos uniu.

Permite que o velho parta
e convida o novo a entrar.

Na roda em que
tombam as horas
tomba o acto
primeiro
que recomeça e
tomba.
Tomba.
Tomba.
Tomba
e ergue-se para
tombar.

A vida finda e
recomeça
para que nasça e
morra e
seja
a forma branca
e pura
do que nasce
imaculado e
firme.

Lisboa, 5 de Abril de 2013 - 23h48

Sem comentários:

Enviar um comentário