quinta-feira, 23 de maio de 2013

O desejo não cumprido

Desejei
que a pele
tua
fosse estátua
pedra que o
tempo não
corrompe.

Desejei
que o corpo
o corpo
teu
fosse a leveza do
toque puro os
lírios sem
mácula ou
defeito.

Desejei
que fosses
simetria
a mais pura
medida
quando é
teu o falível
gesto
o desejo
humano.

Lisboa, 23 de Maio de 2013 - 23h05m

3 comentários:

  1. Bom dia,
    ouvi hoje, na Rádio Nova, um poema seu dito por uma atriz do Porto, líndíssimo, penso que se chamava "luz e sombra". É possível?
    Pode indicar-me onde posso encontrá-lo?
    Obrigada.

    ResponderEliminar
  2. É bom Samuel. É muito bom. A tua forma sintética e concisa de fazer escorrer os versos funciona aqui na perfeição. Bravo.

    ResponderEliminar