terça-feira, 4 de março de 2014

O Tejo e a Lezíria

Subir ao planalto e olhar o Tejo sempre me fascinou. A terra abre-se numa fenda larga para que a língua líquida a lamba e a fecunde. E ouço dizer Lezíria, a planície que atinge o longe e traz nova vida ao mundo. Impõe-se a palavra mãe perante força tão latente. A terra é, se analisarmos bem, a madre que nos sustenta, do seu seio corre a seiva que nos nutre.

Alcanhões, 4 de Março de 2014 - 23h23m

1 comentário:

  1. Tenho um sentir idêntico, perante a beleza do meu rio e espaços envolventes...
    :)

    ResponderEliminar