segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

La merde d'artiste

Dão-nos de comer la merde d’artiste
como se la merde fosse o chocolate suíço
com que se lambuzam os príncipes.
Ainda nos mentem quando afirmam
que la merde não é merda
que até tem perfume distinto
patchouli, lavanda, almíscar
e se parece com o sorriso de uma ninfa.
Empanturram-nos com la merde d’artiste
até que la merde nos entupa os olhos
e as formas das coisas sejam irreconhecíveis.
La merde d’artiste é a criação estupenda
fechada numa redoma de vidro
no melhor museu do mundo
esperando o nosso olhar adulador.
La merde d’artiste é a única peça exposta.
Ouve-se o mármore das paredes
ficou o espaço vazio das vitrines
e apagaram-se as luzes para não ferir a vista de alguém mais sensível.
Muita merda tem sido feita
para que la merde d’artiste
seja a expressão máxima de uma nação.


Alcanhões, 23 de Fevereiro de 2015 – 00h45m

1 comentário: