quinta-feira, 28 de maio de 2015

[Para calar o poema]

Para calar o poema
tira-lhe os olhos com uma faca.

Escuta-o em agonia uma última vez.

Um poema não existe sem olhar.

Alcanhões, 28 de Maio de 2015 - 01h26m

Sem comentários:

Enviar um comentário